Como Melhorar a Sensibilidade à Insulina

A insulina é um hormônio essencial que controla os níveis de açúcar no sangue. Ele é produzido no pâncreas e ajuda a transportar o açúcar do sangue para as células para armazenamento. Quando as células são resistentes à insulina, elas não conseguem usar a insulina com eficácia, deixando o nível de açúcar no sangue alto.

Quando o pâncreas detecta níveis elevados de açúcar no sangue, ele produz mais insulina para superar a resistência e reduzir o açúcar no sangue. Com o tempo, isso pode esgotar as células produtoras de insulina do pâncreas, o que é comum no diabetes tipo 2.

A sensibilidade à insulina refere-se a quão responsivas suas células são à insulina. Melhorar essa sensibilidade pode ajudar a reduzir a resistência à insulina e o risco de muitas doenças, incluindo diabetes.


Reduza o Estresse

Alguns estudos descobriram que um ambiente de exposição prolongada ao estresse, exercem efeitos prejudiciais em nosso corpo e interferem diretamente na ação da insulina¹.

O estresse estimula o corpo a entrar no modo “luta ou fuga”, o que estimula a produção de hormônios do estresse como o cortisol e o glucagon. Esses hormônios decompõem o glicogênio, uma forma de açúcar armazenado, em glicose, que entra na corrente sanguínea para ser usada pelo corpo como uma fonte rápida de energia.

Infelizmente, o estresse contínuo mantém seus níveis de hormônio do estresse elevados, estimulando a quebra de nutrientes e aumentando o açúcar no sangue.

O processo de reação da "luta ou fuga" pode ter sido útil para nossos ancestrais, que precisavam de energia extra para realizar atividades de sobrevivência. No entanto, para as pessoas que estão hoje sob estresse crônico constante, a redução da sensibilidade à insulina pode ser prejudicial.

Atividades como meditação, prática de exercícios e sono são ótimas maneiras de reduzir o estresse, o que ajuda a aumentar a sensibilidade à insulina².


Durma Bem

Dormir bem é extremamente importante para manter o seu corpo em perfeito funcionamento. Foi observado em um estudo que a falta de sono aumenta o risco de hipertensão, infecções, doenças cardíacas e diabetes tipo 2³.

Vários estudos também ligaram o sono insuficiente à baixa sensibilidade à insulina. Um estudo envolvendo nove voluntários saudáveis ​​descobriu que em apenas uma noite em que tiveram 4 horas de sono, sofreram redução da sensibilidade à insulina e a capacidade de regular o açúcar no sangue, em comparação aos que tiveram 8 horas de sono.

A boa notícia é que recuperar o sono perdido pode reverter os efeitos do sono insatisfatório sobre a resistência à insulina.


Reduza o Consumo de Carboidratos

Os carboidratos são os principais responsáveis por fazer com que os níveis de insulina no sangue aumentem.

Quando o corpo converte carboidratos em açúcar e os libera no sangue, o pâncreas libera insulina para transportar o açúcar do sangue para as células.

Reduzir a ingestão de carboidratos pode ajudar a aumentar a sensibilidade à insulina. Isso porque as dietas ricas em carboidratos tendem a levar a picos de açúcar no sangue, o que coloca mais pressão no pâncreas para remover o açúcar do sangue.

Outra maneira de aumentar a sensibilidade à insulina é distribuir uniformemente a ingestão de carboidratos ao longo do dia. Comer porções menores de carboidratos regularmente ao longo do dia fornece ao corpo menos açúcar em cada refeição, tornando o trabalho da insulina mais fácil.


Escolha os Tipos Certos de Carboidratos

Carboidratos de baixo índice glicêmico são os melhores, pois retardam a liberação de açúcar no sangue, dando à insulina mais tempo para funcionar de forma eficiente. As fontes de carboidratos com baixo índice glicêmico incluem batata-doce, arroz integral, aveia, brócolis, cenoura, abobrinha, couve flor.



Posts Relacionados

Ver tudo